Mais Sentido Grupo Felicidade Consciente

Como desenvolver relacionamentos saudáveis

Relacionamentos não são fáceis. Dificuldades sempre surgem nos relacionamentos. Divergência de pontos, irritação com as ações e atitudes do outro e também nossa própria projeção e projeção do outro costumam a aparecer e gerar todo tipo de dificuldade. Esse ponto se dá muito pelo nível de profundidade da relação.

Quanto mais somos íntimos de alguém, maior será o nível de profundidade que estaremos envolvidos. Esse nível de profundidade demandará mais de nossa capacidade de enfrentar obstáculos e de ter um relacionamento saudável.

Se temos relações supérfluas com as pessoas, não teremos muitas dificuldades em lidar com nossas próprias emoções. Só lidaremos com nossas próprias questões quando as relações se aprofundarem e identificarmos esses obstáculos.

Se você veio até aqui é por que busca uma resposta sobre como ter um relacionamento que seja saudável e que produza mais felicidade que sofrimento.

Por essa razão fiz esse texto, buscando falar sobre os relacionamentos e seus desafios, e como podemos fazer para desenvolvermos relações que sejam baseadas na lucidez e não em sentimentos nocivos a nossa relação.

Para tanto, dividi esse texto em alguns tópicos:

  • O brilho nos relacionamentos
  • Como surgem obstáculos nos relacionamentos
  • Os inimigos dos relacionamentos
  • Retornando ao Brilho
  • Criando um relacionamento saudável

O brilho nos relacionamentos

Quando estamos apaixonados, algo brilha dentro de nós. Olhamos para a pessoa com muito interesse e estamos curiosos sobre o que a pessoa quer e gosta. Esse brilho gera nossa dedicação e capacidade de cuidado.

Como um minerador que acha um diamante, o olho se enche de luz ao ver aquele minério tão raro. Entretanto, esse brilho não vem do minério, mas da pessoa que olha.

É um brilho em nosso olhar. O outro brilha para nós e tudo parece interessante. Assim, desenvolvemos o cuidado e a preocupação com a felicidade do outro. Estamos saindo de nosso centramento e olhando o outro na realidade dele.

Esse brilho é nossa percepção sobre o outro, como eu o vejo.

Mas da mesma maneira que esse brilho acontece, ele pode também esmorecer.

Pode ser que nossos obstáculos e os obstáculos da outra pessoa comecem a surgir e com isso o brilho que sentimos por aquela pessoa e ela por nós começa lentamente a diminuir.

É essencialmente difícil cuidarmos dos obstáculos do outro. Mas se tratamos os nossos, já é um grande caminho para que o relacionamento recupere seu brilho. Se não tratamos nossos próprios obstáculos internos, nossos relacionamentos sempre estarão fadados ao fracasso.

Como surgem obstáculos nos relacionamentos

Cada um de nós possui uma história, um vivência e obstáculos específicos a essa vivência. Esses obstáculos são como sementes cultivadas durante muitos anos e que nos geram muitos problemas em todas nossas áreas.

Possuímos também a capacidade de desenvolvermos o amor e a compaixão em nosso ser. Porém, essa capacidade precisa ser apoiada, desenvolvida e cultivada como uma semente.

Para ficar mais claro, podemos comparar essas sementes como a capacidade que possuímos de saber ler.

Todos seres humanos nascem com essa capacidade de saber ler, mas somente se formos expostos e estimulados é que aprenderemos essa habilidade.

Com o amor e a compaixão é a mesma coisa. Temos essas sementes dentro de nós e somente conseguiremos ter uma relação com essas características se elas existirem em nós.

O motivo disso é porque só é possível vivenciar algo que conheçamos, porque transbordamos o que carregamos dentro. Se nosso interior não tiver essa semente, precisamos aprender a rega-la.

Os inimigos dos relacionamentos

Se não temos essa cultivação de amor dentro de nós, iremos buscar isso fora. Assim entraremos nos inimigos dos nossos relacionamentos. Com isso cultivamos emoções perturbadoras, que geram a dificuldade em nossas relações.

Aqui cito para você 6 dessas armadilhas.

Carência

baseados em uma expectativa de que o outro supra nossa falta de amor e carinho conosco, ficaremos presos na relação sempre demandando do outro. Sempre esperando que o outro me faça feliz. A carência é de amor e de compaixão consigo.

Apego

Se o outro supre nossa expectativa, pelo menos um pouco, acreditamos que não podemos viver de outra maneira que não seja próxima daquela pessoa. Dessa forma, criamos um apego a pessoa e sofremos se o outro decide andar em outra direção. (Escrevi também aqui um artigo que elucida melhor isso sobre Apego e amor e suas diferenças. Leia aqui)

Expectativa

Se nos movemos por expectativas, criamos também as formas que o outro deve se comportar, como ele deve se mover no mundo. Se a pessoa se move de maneira que eu não quero, eu sofro. Assim geramos cobrança de como o outro deve se portar. Se o apego existe em conjunto, então mesmo que o outra me faça sofrer eu continuo na relação.

Autocentramento

Eu não vejo o outro e só entendo a minha dor e minhas necessidades. Ficamos fixados em nós mesmos e somente no que demandamos e não do que podemos oferecer nessa relação.

Medo

Quando não temos amor e compaixão interior, o medo vem à tona. Esse medo se expressa através de nosso apego em perder o mínimo de amor que achamos. Esquecemos que ele não vem de fora e nos apegamos nas emoções perturbadoras, sem conhecer o amor que pe libertador.

Solidão

O medo de ficar sozinho cria o sentimento de solidão. Entretanto, se temos amor e compaixão aprendemos a diferença entre solitude e solidão. Fiz um vídeo sobre isso que pode assistir aqui.

Se estamos cultivando emoções como essas, é natural nossos relacionamentos percam seu brilho e logo enxerguemos pedras de carvão ao invés de um raro e precioso diamante.

Assista aqui também um vídeo sobre 3 dicas para aumentar sua autoestima

Retornando ao brilho no relacionamento

Se temos a capacidade de gerar esse brilho no outro em algum momento de nossa vida, podemos recuperar isso.

Quando escrevemos uma carta para a pessoa que amamos, focados nesse sentimento e depois de um ano, pegamos essa carta e a lemos, podemos voltar ao sentimento que tínhamos no momento que a escrevemos.

Podemos sempre retomar o brilho que sentíamos entendendo o que gerava esse brilho.

Se o brilho é voltado a carência, medo ou solidão, iremos sempre voltar a sentir essas emoções em nossa relação. Porém, o brilho pode ser construído de maneira diferente.

Podemos construir uma relação que nos faz crescer e conhecer mais sobre nós mesmos. Tomamos o relacionamento como um caminho para nosso autoconhecimento e para felicidade. Não apenas nossa felicidade, mas a felicidade das pessoas que se aproximam de nós, da pessoa que está vivendo junto conosco aquele relacionamento.

Criando um relacionamento saudável

Relações são sempre desafiadoras, porque fazem com que entramos em contato com aquilo que carregamos em nosso interior. Se carregamos carência, iremos nos deparar com elas.

Porém, podemos desenvolver as outras sementes em nosso interior para que nosso relacionamento seja positivo. Olhamos o outro como alguém muito precioso que nos apresenta nossos obstáculos.

Se os obstáculos do outro aparecem, então entendemos que estão apenas aparecendo, mas não são direcionados a nós, estamos agindo como catalisadores desse processo.

Vamos em direção a momentos mais favoráveis, mas quando eventos ruins acontecem, são momentos de praticarmos e descobrirmos mais sobre nós mesmos.

Quero deixar bem claro que, quando falo sobre dificuldades, não estou falando de agressão física, verbal ou de qualquer outra espécie. Sempre que algum tipo de agressão surge e nos sentimos ameaçados, devemos nos afastar, pois somente tendo o cuidado conosco é que iremos também gerar o cuidado com o outro.

Se nos amamos, somos capazes de amar, se cuidamos de nós, somos capazes de cuidar.

Alimente a semente de amor que habita dentro de você.

 
Grupo Felicidade Consciente

Sobre o autor | Website

Postagem realizada em colaboração por uma curadoria de conteúdo. O Grupo Felicidade Consciente é composto por autores e parceiros que se dedicam a fazer da vida uma prática constante de ampliação da consciência.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!



Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.